18 de novembro de 2009

é a dor o alimento.

Ficas ao meu lado, por que gostas de me ver morrer, morrer de amor, morrer de saudades, morrer de pensar.

Quando ameaço viver, tu foges. Foges por que algo em ti necessita da minha amargura, algo em ti necessita do meu sofrimento, da minha morte lenta e dolorosa. Algo em ti, que eu não vi por causa da cegueira momentânea que fui exposta no momento em que te conheci, é sombrio, é triste, é pesado demais, e eu não sou tão forte quanto o atlas.

Decidi-te, percorre o caminho que mais te agradar, mas faz o favor de lembrar que a minha dor não é parque de diversões pra ninguém.



2 comentários:

Myrella Vasconcelos disse...

*--------------*
pqp minha amiga escreve muito.

palavars sinceras!!
(l

Nine disse...

Foge então! Não só ameaçes!!!


beijos.
lIINdo texto!!!