3 de outubro de 2009

Ele.

Rapidamente dominou meus sentidos modificou meus princípios e relevou-me mortal.

Calou-me com um grito mudo, e me cegou com todas as suas cores.

Fingi ser inapta para tal sentimento, desmascarada em praça pública fui.

Lágrimas abrolham porque o inexplicável vem à tona.

Estado de perplexidade passa a ser constante. Inconstantes são.

Supressão de vontades voluntárias, peito comprimido imutavelmente.

Fincou raízes nas terras inférteis da minha alma.

O amor.

7 comentários:

Nine disse...

o amor!

vem sempre assim néh?
a gente não tem muitas escolhas depois...

amei o texto.

ótimo FdS pra tu!

beijos...

Nine disse...

obrigada!

Conheço o Erick só do blog mesmo...
se não me engano, ele é daí de pernambuco, e eu estou quase no finzinho da Bahia...
rsrsrsrsrsrrsrsrs...

;)

beijoO...

Del... disse...

Olá!Fiquei mto feliz por ter vc como seguidora!
Mto lindo seu texto...descreveu bem o complexo e avassalador amor...
lindo!
Passarei mais por aqui!
bjuu :*

Thaysa Oliver. disse...

Deeeu pra perceber nesses dois últimos posts o tipo de conversa que vc quer ter comigo!
HAUAHAUAHAUAHAU
Se pessoas como vc não são protegidas contra esse vírus fatal que diz se chamar amor! Eu tô FUDIDA!
hauahauahauahauahauahaua


Não comentei lá, mas li (como sempre leio) e me arrepiei com o texto: Reciprocidade
Muuuuuuuito FODA!
Se não for o melhor que já li dos seus, foi um dos!
Com certeza!

Beeijo :*

Mariana Andrade. disse...

aaah, esse amor que nos torna tão mutáveis e, por vezes, inconsequentes. mas que bom demais sentir!

lindo.

;*

Estéphanie Mognatto disse...

Gostei =D
bjim

Amanda Luíze disse...

Lindo, Ray!!!

Bj